Nas eleições brasileiras, como explicar o crescimento do fundamentalismo evangélico e qual o papel dos pastores progressistas?

Image for post
Image for post

Conversei com os pastores batistas Levi Araújo e Guilherme Burjack, além do doutor em antropologia e coordenador do projeto “Diversidade religiosa nas escolas” Silas Fiorotti, para entender o papel do conservadorismo religioso, em particular evangélico, nas eleições para vereador e prefeitos. Além disso, conversei com eles sobre como se comporta o eleitor evangélico, qual o poder efetivo de pastores e lideranças

Pastor Levi Araújo:

1) Religião sempre teve um papel de destaque nas eleições brasileiras, mas há algo de diferente hoje (com Bolsonaro e o crescimento do número de eleitores evangélicos, etc)?

Desde quando a os europeus chegaram às terras nativas brasileiras, desde as Capitanias Hereditárias, a religião sempre teve destaque e ingerência nos palácios do Poder. Passando pelo Império e pela Republica, os poderosos e os religiosos sempre souberam cuidar da comunhão de interesses dos poderosos da politica e da economia. Com a maioria dos pastores evangélicos a lógica é a mesma, ao seu modo, espiritual e teologicamente, eles acreditam que estar no poder e ao lado dos poderosos é a vontade de Deus. …


O Cientista Alexandre Araújo Costa explica os desafios que aguardam a humanidade no pós-pandemia e a urgência de mudanças na forma como produzimos, consumimos e nos relacionamos com o meio ambiente

Image for post
Image for post

Alexandre Araújo Costa é físico, doutor em Ciências Atmosféricas pela Universidade Estadual do Colorado, professor na Universidade Estadual do Ceará (UECE) e um ambientalista brasileiro de renome internacional.

O seu nome é lembrado em qualquer debate sobre mudanças climáticas e desafios ecológicos para o futuro e o seu trabalho não se limita apenas ao mundo acadêmico. Ele também tem atuação ativa na política (foi candidato a deputado federal pelo Partido Socialismo e Liberdade, PSOL), para além de atuar como divulgador científico nos meios de comunicação e redes sociais.

Conversei com Costa sobre os desafios ambientais que se avizinham, particularmente face à crise provocada pela pandemia de Covid-19. …


Uma lei que pretende reprimir fake news comprometeria a liberdade de expressão dos cidadãos.

Image for post
Image for post

O Brasil está lutando contra uma crise de desinformação. Para resolvê-la, o país deveria investir em educação e responsabilizar os financiadores das redes de fake news. Em vez disso, o Congresso Nacional brasileiro está considerando uma legislação que violaria a privacidade e a liberdade de expressão dos 137 milhões de internautas do país.

Vários membros e apoiadores do governo de extrema-direita do presidente Jair Bolsonaro estão sendo investigados por divulgarem notícias falsas durante as eleições. …


Image for post
Image for post
Photo by Marc Sendra Martorell on Unsplash

Bom texto do Marlos Ápyus. Concordo com a conclusão, mas é impossível não ter um pé atrás: Sim, o Estado tem que entrar na questão, mas… como? A lei das fake news é horrorosa e em geral leis sobre internet são feitas por legisladores que pedem pras secretárias imprimirem seus e-mails. Os caras não entendem lhufas de tecnologia, não entendem os termos, enfim, acham que censurar é o caminho a seguir e privacidade é um conceito vago ou inexistente em suas cabeças.

Se por “Estado” a questão passar antes por movimentos e ativistas, a coisa melhora, mas só um pouco — a luta pelo Marco Civil da Internet foi longa e difícil e não faltam tentativas legislativas de passar por cima do MCI, como a própria Lei das Fake News aprovada no senado. …


I had the worst time renting a car with a local Belgium car rental company. In fact, I wasn’t even able to rent one. Someone from a group of expats told me they are the Ryanair of car rentals… and it’s actually worse.

Image for post
Image for post

[PT-BR version below]

I decided to rent a car to enjoy the summer out in the woods. I did the whole process online with a small Belgian company, with whom I had rented a van a few months before to move to my new apartment.

Suffering xenophobia was never something that crossed my mind. Born in Brazil, I’m (very) white and I have blue eyes, and if I don’t open my mouth any Belgian would consider me as “part of the group.”

In fact, I’m a Portuguese citizen and it was a document from that country that I presented — next to my Spanish driver’s license. But in Belgium, prejudice is not only of colour, but also against any foreigner — and Portuguese perfectly fit the definition. …


Image for post
Image for post
Photo by Aarón Blanco Tejedor on Unsplash

It is not a novelty that FOMO is an immense problem in hyper-connected societies. We have our mobile phones always at hand, ready for a quick look at the latest news or the results of the championship of your favourite sport. Staying 5 minutes disconnected is often a real pain, an impossibility.

For freelance journalists the situation ends up being even more complicated, because in addition to the natural curiosity, our work depends on hyper connection and always being connected in the news. …


Image for post
Image for post

Em 2016, Matt Rivitz criou o Sleeping Giants, um perfil no Twitter dedicado à denunciar anúncios de grandes marcas em sites conservadores. Com alguns cliques, Rivitz ajudou a catalisar um movimento político internacional.

Depois de ter enorme sucesso ao pressionar pela retirada de milhões de dólares de sites e organizações de notícias de extrma-direita nos EUA, como Breitbart e Fox News, sua idéia acabou se espalhando pelo mundo e chegou ao Brasil onde, em menos de um mês, o perfil Sleeping Giants Brasil conseguiu rapidamente convencer diversas marcas a retirar anúncios do Jornal da Cidade Online, considerado um dos maiores porta-vozes e propagadores de desinformação do presidente brasileiro Jair Bolsonaro. …


Image for post
Image for post

Antes de assumir o cargo de chanceler do Brasil, Ernesto Araújo era apenas um obscuro diplomata no Ministério das Relações Exteriores.

No entanto, já era conhecido pela extrema-direita brasileira por manter um blog em que defendia o presidente americano Donald Trump e por suas teorias de conspiração — que ele continua promovendo, mas com um alcance infinitamente maior e mais capacidade de causar danos à política externa do país.

Para se tornar chanceler, o Ministério das Relações Exteriores teve que acelerar a promoção de Araujo de ministro de segunda classe para ministro de primeira classe, apesar de nunca ter chefiado uma missão diplomática no exterior antes de se tornar ministro das Relações Exteriores. E sua atuação é prova de sua incapacidade política e diplomática, que resultou na perda de espaço do Brasil no cenário internacional após anos de construção de uma política externa proativa que buscava influenciar em questões de grande relevância global. …


But political parties will have to move quickly and show willingness to do more than just talk

Image for post
Image for post

Former judge and now former justice minister Sérgio Moro may be responsible for overthrowing the second president of his career. First, he contributed to Dilma Rousseff’s impeachment by unveiling the immense corruption scheme involving her party, the Worker’s Party, as well as sending former President Lula da Silva to prison.

Now, his departure from Bolsonaro’s government has opened an unprecedented crisis that could precipitate the president’s downfall, which has already been severely criticized for the way he has dealt with the coronavirus pandemic.

On Thursday night, it was said in the corridors of Brasília that Sérgio Moro’s right-hand man, Federal Police Chief Maurício Valeixo, would be exonerated from the institution’s command — and that Moro, therefore, would not agree to remain in office. Negotiations followed between the still-minister and President Jair Bolsonaro. They were unsuccessful. …


The ‘news deserts’ that plague the country’s poorest communities may be turning into oases

Image for post
Image for post
A view of Complexo do Alemão. Photo: picture alliance/Getty Images

The majority of Brazil’s population is Black and mixed-race. That same population also makes up the majority of the country’s poorest and most excluded communities in the outskirts and favelas of major cities. Black and mixed-race Brazilians are 2.7 times more likely than their White counterparts to be murdered, and they constitute more than three quarters of homicide victims in the country.

A longstanding media crisis only exacerbates such patterns. Nearly two-thirds of all municipalities in Brazil qualify as “news deserts,” areas where there is little to no local coverage. Outlets with national reach end up being a community’s primary sources of news, but rarely address relevant issues in that community — such as the lack of food at a city’s public schools or untenable lines at health care institutions. …

About

Raphael Tsavkko Garcia

Journalist, PhD in Human Rights (University of Deusto). MA in Communication Sciences, BA in International Relations. www.tsavkko.com.br

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store